terça-feira, 28 de setembro de 2010

hoje sou apenas silêncio


há dias que não são mais do que um contar de horas entre sair da cama e voltar a ela.

domingo, 26 de setembro de 2010

os primeiros dias a seguir aos 33


estou a sobreviver bem, apesar da crise de meia-idade (terço de idade?) que ameaçou instalar-se.

nada que não se tenha resolvido com uma noite de salsa (a dança, não o vegetal) e uns quantos "mas pareces tão mais nova!!" arrancados a amigos e amigas previamente instruído(a)s nesse sentido.

"e porquê uma crise aos 33??", perguntais vós. porque não aos 30 ou aos 40, que são números tão redondinhos? ou mesmo aos 35, que se não me engano é ainda o limite acima do qual um indivíduo deixa de ser considerado "jovem" (pelo menos no que toca a usufruir de descontos em viagens, inscrições em ginásios, etc etc)?

é que tem muito mais piada ter uma crise aos 33. reparem na sonoridade: "trinta e três". é poético em todas as línguas, até no alemão (dreiunddreissig). e poesia em alemão não é pêra doce, especialmente se nos pusermos a contar sílabas métricas em palavras com vinte letras ou mais.

o número 33 tem, também, um incontornável simbolismo religioso (crucificação de cristo e número de milagres por este, alegadamente, levados a cabo). ora, e o que faz a maioria das pessoas quando entra em crise? começa a rezar. lá está! faz todo o sentido.

melhor ainda: 33 é o título de uma canção dos smashing pumpkins que me apela bastante à alma e ao ouvido... arrisco dizer que terá sido composta quando o billy corgan tinha essa mesma idade - o que nos coloca par a par em termos de reflexões sobre o sentido da vida... uma honra.

após rápida consulta à wikipedia, posso ainda afiançar que 33 é o número atómico do arsénico (quando rezar não resulta... piadinha) e a temperatura à qual a água ferve (e a ferver se fica numa crise destas, é claro. e durante a menopausa. mas isso é para depois).

deixo aqui o link para os interessados no post, fãs de numerologia ou simplesmente companheiros da mesma idade:

quanto à crise dos 33 em si, está neste momento, tal como expliquei, de repouso. quanto mais não seja enquanto durar a crise do "não posso crer que amanhã é segunda-feira outra vez!".

vidas...

terça-feira, 21 de setembro de 2010