sexta-feira, 31 de outubro de 2008

in codfish waters


... é como tendem a ficar os meus projectos de carreira.

quarta-feira, 29 de outubro de 2008

a surpresa

a minha mãe apareceu ontem em casa com o "Ensaio sobre a Cegueira" debaixo do braço. a polémica sobre o filme suscitou-lhe, pelos vistos, a curiosidade de ler o livro.

note-se que a minha mãe já foi uma jovem dada a leituras, mas seguindo o percurso de vida "normal" das outras moças da sua idade e condição (emprego, casamento, filhos), deixou os livros de lado durante uns bons vinte anos. haverá ali alguma preguiça, também. "quase todos me dão sono", diz; e a preferência continua a ir para a novela da noite.

de há meia dúzia de anos para cá fui-lhe oferecendo uma ou outra leitura de cabeceira: romances fáceis de ler, para a ver voltar a ganhar-lhes gosto.

ontem, já embrenhada nos longos parágrafos de Saramago, comentou "é engraçado, ele não põe pontuação nos diálogos mas percebe-se bem, parece que ficamos com a pergunta e com a resposta ao mesmo tempo. ele escreve muito bem!"

e eu disse-lhe: "depois empresta-mo."

e fui dormir, com um sorrisinho de filha orgulhosa.

segunda-feira, 27 de outubro de 2008

by the bedside...

há muitos (mesmo muitos) anos que abandonei o hábito de rezar antes de dormir.

a falta de Fé começou por incompatibilidades com a aprendizagem científica (ninguém me explicou, na altura, que não é suposto serem compatíveis. nem sei se teria servido de alguma coisa. adiante.) e, uma vez perdida, não mais voltou a assombrar-me o horizonte. apenas se consolidou como vazio realista e fardo face ao destino.

não acho que tenha feito grande negócio neste aspecto, porque se por um lado perdi a utilidade da Fé enquanto instrumento de esperança e de conforto, noto que mantive - infelizmente - bem vincada a cultura de culpa e de auto-punição típica do Catolicismo. não terá sido a opção mais inteligente - mas também não sinto que tenha sido uma opção.

embora não podendo recorrer à Fé no sentido religioso, não abdico do meu direito de ter um momento reconfortante antes de dormir! por exemplo, cantando e tocando uma música recentemente (re)descoberta na viola, e fazendo vista grossa às duas penúltimas frases:

I sing myself to sleep
A song from the darkest hour
Secrets I can't keep
Inside of the day
I swing from high to deep
Extremes of sweet and sour
Hope that God exists
I hope, I pray
(...)
I believe this wave will bear my weight
So let it flow...

não é bem a mesma coisa, mas que interessa? o importante é ter alternativas, e esta pode até revelar-se bem melhor. é que (e nisto acredito sem hesitações) a música salva-nos sempre.

raios partam a metereologia

uns raios de sol mais fortes a caminho do emprego, esta manhã, fizeram-me maldizer a infortempo do Sapo e a CNN, que prediziam temperaturas entre os 7ºC e os 15ºC, aguaceiros e índice UV 3 (baixo). que é coisa para eu vir logo cheia de camisolinhas e collants por baixo das calças.

felizmente foi falso alarme. já sentadinha no meu posto de trabalho, consigo ver pela janela que vai ser um belo dia de smog.

quarta-feira, 22 de outubro de 2008

useful info

What is the difference between a Dictionary and a Thesaurus ?

When you know the word and want the meaning, you look up a dictionary. When you know the meaning and want the word, you look up a thesaurus.

terça-feira, 21 de outubro de 2008

terça-feira, 7 de outubro de 2008

jogo de cores

hoje, ao acordar, ao demorar-me na cama de manhã, parei a olhar os quadros que tenho na parede. é uma das vantagens de se ser míope: o ser-se capaz de ver o mundo sem contornos, apenas um borrão de cores libertas à imaginação. por vezes traz descanso à alma.

olhei o meu quadro de fotografias e vislumbrei uma casinha rústica, no campo, com porta e janela abertas; e eu espreitando à janela, sorrindo.

olhei o meu quadro de cortiça apinhado de cartazes e vislumbrei árvores de múltiplas cores, numa profusão de castanhos, vermelhos e verdes.

ainda num semi-sono...