quarta-feira, 30 de dezembro de 2009

new dawn



Birds flying high you know how I feel, Sun in the sky you know how I feel, Breeze driftin' on by you know how I feel...

It's a new dawn, It's a new day, It's a new life for me!

And I'm feeling good...

segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

riverside diaries_3

ultimamente só me dá para dormir e para fazer jantares de amigos. cá em casa, claro, no quentinho aconchego do (provisório) lar.

será saudade antecipada do ninho? (não fosse eu desde sempre uma valente dorminhoca, e a coisa até dava para preocupar!)

dirão vocês: "é do tempo...". ah pois é, com certeza. do tempo que (ainda) tenho. que o outro... bem... esse não me incomoda muito.

gosto de chuva e gosto de vento, quer seja para ficar enroscada na cama, ouvindo o gotejar que chega da rua, quer para sair sem guarda-chuva, só o kispo e o carapuço a proteger a cabeça, e sentir como a minha vida é insignificante se comparada à imensidão da natureza.

a chuva tem essa propriedade fundamental: tudo adoça e tudo relativiza...*

... e cheira a VIDA.


*Nota: estou aqui a falar de chuvINHA e de ventINHO, ou seja, ambos em quantidades não ameaçadoras. ressalva feita, portanto, àqueles que sofreram danos físicos ou perdas materiais devido ao recente mau tempo, com os quais obviamente me solidarizo. aqui no que nos toca, já era tempo de portugal se preparar para os invernos rigorosos que todos os anos nos "surpreendem".

domingo, 27 de dezembro de 2009

carta do dia


7. Projecções

"O homem e a mulher desta carta estão se olhando; contudo, não são capazes de se enxergar com nitidez. Cada qual está projetando uma imagem que construiu em sua mente, de maneira a encobrir o rosto verdadeiro da pessoa para quem está olhando.

Todos nós podemos cair na armadilha de projetar "filmes" de nossa própria autoria, sobre as situações e as pessoas à nossa volta. Isso acontece quando não estamos plenamente conscientes de nossas expectativas, desejos e julgamentos; em vez de assumir a responsabilidade por tais expectativas, desejos e julgamentos, e de reconhecê-los como nossos, tentamos atribuí-los aos outros.

Uma projeção pode ser diabólica ou divina, perturbadora ou confortadora, mas continua sendo uma projeção -- uma nuvem que nos impede de ver a realidade como ela é. O único modo de escapar disso é entender como funciona o jogo. Quando você der com um julgamento se formando a respeito de outra pessoa, vire-o do avesso: aquilo que você está vendo no outro, na verdade, não pertence a você? A sua visão está límpida, ou obstruída pelo que você quer ver?"

retirado daqui

quinta-feira, 24 de dezembro de 2009

quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

"F.r.i.e.n.d.s." quotes: Joey

[about driving through "The Tunnel of Commitment"]
Joey: Well, I've never been through the tunnel myself. 'Cause as i understand it, you're not allowed through it with more than one girl in the car.

Rachel: But do you think that maybe, on some level, you don't want to take off my bra?
Joey: No, I don't have another level.

Joey: In my spare time, I, uh, read to the blind. And I'm also a mento for kids.
Interviewer: A "mento"?
Joey: You know, a mento. A role model.
Interviewer: A men...to.
Joey: Right.
Interviewer: Like the candy?
Joey: As a matter of fact, I do.

Joey: Did you think about the trail?
Ross: What trail?
Joey: The trail from the woman you did it with to the woman you hope never finds out you did it. You always have to think about the trail!

Joey: Yes! Guess who's in an audition for a Broadway musical?
Chandler: I want to say you but, that seems like such an easy answer.
Joey: It is me! It's a musical version of Tale of Two Cities. So I think I'm gonna sing "New York, New York", and ah, oh "I Left My Heart in San Francisco".

Joey: What are you doin'?
Rachel: Moving a chair, so I can have a place to sit?
Joey: No, no, Rosita, does not move.
Rachel: As in, what...?
Joey: As in, Rosita does not move!
Rachel: Why not?!
Joey: 'Cause she is in the equal distance from the kitchen to the bathroom and she is at the perfect angle so that no glare is comin' off Stevie...
Rachel: Stevie the TV?
Joey: Is there a problem?!

Joey: (to Rachel) There was this scene in "Footloose" -
Chandler: "Flashdance".
Joey: Right, right. With that plumber girl -
Chandler: She was a welder.
Joey: What, were you like IN the movie?!

[at a TV Contest]
Gene: You put this in your coffee.
Joey: A spoon! Your hands! Your face!
Gene: It's white.
Joey: Paper! Snow! A ghost!
Gene: It's heavier than milk.
Joey: A rock! A dog! The earth!
Gene: Pass!

terça-feira, 22 de dezembro de 2009

da amizade enquanto, por vezes, infortúnio

que fazer quando temos uma relação com alguém que é de tal forma diferente de nós que, a bem dizer, cada uma das partes tem que fazer um esforço sobre-humano para se adaptar à outra e para compreender a outra, e apesar desse esforço constante a outra parte nunca está satisfeita?

que fazer quando a relação já carrega tantos anos de mágoas e de ressentimentos que estes vêm à superfície por dá cá aquela palha?

que fazer quando já não adianta falar porque a outra parte não nos ouve? e a frustração acumulada é tanta que até esquecemos o que é que gostamos uma na outra...

se fosse amor sexual já teria dado em divórcio, com certeza. como é amor fraternal... não sei. pergunto-me se será tempo de parar.

(e o à-vontade com que escrevo isto aqui é porque a outra parte não lê o meu blog. não gosta de blogs, não tem tempo para blogs e não acha importante ler o meu).

segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

a insustentável leveza da singularidade

já foi tempo. em que ser trintona (ou trintinha) e solteir(a) era uma mácula, uma anormalidade.

"isso é coisa do século passado!", dirão talvez vocês, em especial os homens.

pois, mas não. pelo menos neste cantinho a norte de portugal, ser solteir(a) por opção é um privilégio apenas deste século, o vinte e um. e ainda não é para todas.

claro que há cada vez mais mulheres na casa dos 30 e ainda solteiras. e tantas outras que optam pela união de facto como alternativa ao casamento.

estou certa que todas estas mulheres aparentam ser atraentes, confiantes, bem-sucedidas.... enfim, fantásticas. e estou certa que elas próprias fazem questão de salientar que não precisam de homens para nada. têm a sua vida, os seus amigos, a sua carreira... príncipe encantado e filhos? claro, talvez um dia. mas não para já.

o problema é que, geralmente, essas super-mulheres são as primeiras a olhar-se ao espelho e a questionar-se: "o que há de errado comigo? porque é que não tenho ninguém?".

muitas se queixarão da pressão social, esquecendo-se que a raiz desse condicionamento está nas nas suas próprias cabeças. nas cabeças dessas mulheres lindas, fantásticas e independentes, que fazem questão de mostrar que não precisam de ninguém porque precisam muito de alguém. porque, sem um companheiro, sentem-se incompletas.

por isso digo que este fenómeno é ainda recente. é visível mas não está interiorizado nos corações. a solteirice disseminada acontece, simplesmente, porque cada vez somos mais exigentes. porque já não nos contentamos com o bom ou o morno ou o assim-assim. porque estamos convictas de que merecemos mais e melhor, e estamos dispostas a esperar por esse mais e melhor. a solteirice não se escolhe... acontece. e, portanto, aguarda-se pelo "tal"; e, enquanto se aguarda, há que mostrar que estamos muito bem assim, solteiras.

este ano (apenas este ano), aos 32, consegui finalmente abraçar a minha condição de solteira. a (quase) insustentável condição de saber que talvez não tenha sido feita para uma vida de casal, encaixada em determinados cânones, e que não há mal nenhum nisso.

se não preciso de homens para nada? claro que preciso! não sou uma pedra. sinto solidão, como toda a gente; gosto de partilhar momentos, conversas, carícias e gestos. mas confesso que não gosto de pensar a dois, de decidir a dois, de trocar o "eu" pelo "nós".

por enquanto, sou realmente solteir(a) por opção. porque recuso-me a estar com alguém na lassidão de quem não quer estar sozinha. porque tenho expectativas altas (íssimas) e portanto tenho que encarar que a probabilidade de encontrar alguém que me encha as medidas não é muito animadora.

mas hoje, FINALMENTE, estou em paz com essa opção. não digo que não queira um companheiro de longo prazo na minha vida. nem que não o venha a ter. nem sei, por exemplo, se terei filhos ou não.

mas estou preparada para a possibilidade de isso nunca acontecer. ou de demorar muito tempo. e entretanto, não vou ficar em compasso de espera, nem vou deixar de viver e de dar o melhor de mim aos que me rodeiam.

apesar do meu habitual cepticismo, continuo a acreditar no amor; apenas não acredito que este seja para todos, nem que tudo o que nos passa pelos olhos, diariamente, seja amor - longe disso.

também tento não criticar… cada um lida com a sua solidão como pode - e eu não sou exemplo de moralidade para ninguém. o essencial é ser-se honesto.

mas saber olhar ao espelho, sorrindo, e aceitando quem somos, com o fulgor dos nossos sonhos e a consciência das nossas limitações, é uma conquista diária.

e ser ainda capaz de aceitar o peso desta opção sem perder as asas que nos elevam para além de nós próprios… é uma dádiva.

quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

fun fun fun

prémio Que vão Eles fazer Em 24 Horas, um Powerpoint?
"Amanhã é o dia final e decisivo da Cimeira de Copenhaga. São esperados 115 chefes do Estado e do Governo. "

prémio Estou a Seguir a Cimeira pelo Twitter
"Apesar da negociação estar a ter solavancos, está bem encaminhada para ser conseguido um acordo global e vinculativo", assegurou a ministra do Ambiente portuguesa, Dulce Pássaro (em 16-Dez).

prémio Logo agora Que tinham Algo em Comum
"Some of the bitterest exchanges at the 12-day conference have been between the United States and China, the world's two biggest polluters."


http://en.cop15.dk/

quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

o que eu fui encontrar!

uma daquelas citações de filme que me ficou para sempre na memória (acho piada, fazer o quê?).

e de onde? do "working girl" ("uma mulher de sucesso"), 1988, com a melanie griffith.

entretanto, graças a esta imagem, descobri que há um filme feito para TV em 1973 com este exacto título.

segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

tá tudo louco, hoje

a minha mãe aproveitou o facto de eu não saber onde pára a password das Finanças para me dar um petit sermão sobre como a minha vida seria melhor se eu a deixasse organizá-la.

a minha irmã está trancafiada em casa a fazer a tese. morreu para o mundo.

a minha afilhada está trancafiada em casa a fazer a tese. morreu para o mundo.

o meu amigo j. está há 3 horas a discutir comigo por email por causa de uma pôrra de um (pelos vistos 2) jantar que eu recusei. ou melhor, estamos a comunicar, e não a discutir (diz ele).

e a cnn weather afirma que estão 10ºC no porto. ha! in your dreams.

está tudo louco.

remember my name

domingo, 13 de dezembro de 2009

riverside diaries_2

almoço tardio com a minha amiga G. numa esplanada à beira-mar, mesmo perto aqui de casa. conversa alegre, assuntos por vezes surreais (como tantas vezes são os nossos assuntos). as tonalidades mágicas e mornas do sol de inverno na praia, como no rio próximo, como na minha varanda.

no regresso, o silêncio sossegado da casa, interrompido apenas quando quero e como quero.

está-se bem por aqui. recuperando forças e aguardando fevereiro.

sábado, 12 de dezembro de 2009

o meu voto para o filipe pinto

... que, orgulho-me de dizer, é o mano mais novo da minha querida andreia. :)

como já todos tiverem oportunidade de ver, o rapaz tem imenso talento, um gosto musical notável (igual ao meu eheheh), e entrega-se à música de corpo e alma... daquela forma que nos provoca arrepios na pele.



espero bem que seja ele o próximo ÍDOLO.. a mim já me conquistou!! :)

quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

breve compêndio de irritâncias (um)

# álbuns de fotos chamados "me, myself and I"

para além da profusão de álbuns virtuais com este nome, saibam que estão a plagiar:

  • um álbum inteiro da beyoncé
  • esta lista de artistas (mais um filme e uma peça de teatro)

"Me, Myself, and I" (1937 song), a song popularized by Billie Holiday "Me, Myself and I" (Chalk Circle song), a 1986 song "Me Myself and I" (De La Soul song), a 1989 song "Me, Myself & I" (Vitamin C song), a 1999 song "Me, Myself & I", a 2001 song by Jive Jones "Me, Myself and (I)" a 2007 song by Darren Hayes "Me, Myself & I" (Scandal'us song), a song by Scandal'us Me Myself I, a 1980 album by Joan Armatrading Me, Myself & I (album) a 2006 album by Fat Joe Me, Myself and I (play), a 2007 play by Edward Albee Me, Myself and I (film), a 1992 film by Pablo Ferro

  • uma empresa de design e publicidade


... e tudo isto apenas numa página de google search. em, digamos, 5-7 minutos.

terça-feira, 1 de dezembro de 2009

final official nano-word-count

falhei redondamente o objectivo fixado, que era o de atingir as 50.000 palavras até ao final de novembro.

os culpados? uma viagem a munique, kilogramas de trabalho sobre os meus ombros, vida social activa... e (o pior de todos) a procrastinação em geral.

mas como eu sou uma miúda persistente (perdão, teimosa), decidi não me ficar e fixar para mim própria um objectivo mais realista: o das 5.000 palavras.

e acabo de conseguir atingi-lo! :-D

como boa portuguesa que sou, só começo a trabalhar a sério quando o prazo está quase a estourar; pelo que escrevi 1.717 palavras nos primeiros 29 dias do mês, e a módica quantidade de 3.340 palavras HOJE.

não são 50.000, pois não... mas são mais 5.000 palavras do que as que eu escreveria num mês normal. são, acima de tudo, treze páginas de prosa com sentido e que pede para ser continuada.

por isso, sinto-me... vitoriosa!

e agora tenho uma história para finalizar. :)

segunda-feira, 30 de novembro de 2009

mais umas palavritas para o nanowrimo (deadline é hoje!!), para não parecer muito mal

acabo de escrever a frase "era um olhar fotográfico, que de imediato parecia penetrá-lo até às profundezas do seu ser", e já estou a ver-me a chafurdar no lodo dos romances de cordel semi-eróticos.

vou almoçar.

domingo, 29 de novembro de 2009

eu já...

eu já tive insónias
eu já tentei beijar um rapaz e ele desviou-se
eu já pintei o cabelo de cor-de-laranja
eu já bati a porta do carro e saí a meio do caminho
eu já fui campeã nacional de tai chi
eu já falei para 80 pessoas
eu já fui a croma da turma
eu já dancei em collants em cima de um palco
eu já soube que seria capaz de tudo
eu já soube que não seria capaz de nada
eu já pisei três continentes
eu já chorei escondida na casa de banho
eu já escrevi cartas de amor de oito páginas
eu já figurei numa curta-metragem portuguesa
eu já viajei sozinha
eu já desisti de tudo... e regressei.

... e inspirei-me aqui.

alguém segue o repto?

quinta-feira, 26 de novembro de 2009

é caso para dizer que estão a pôr a Wagen à frente dos Oxen

ligaram-me dos recursos humanos de munique a averiguar, entre outras coisas, se tenciono transportar mobília para lá.

agora, chegarem-se à frente com uma proposta de numerário e demais condições, isso é que não, good grief!

uma coisa de cada vez, que eles são muito organizados.

terça-feira, 24 de novembro de 2009

"greys" anatomy

e não é que (descobri eu agora, no meio de uma reunião chata) este cast anda todo nos quarenta anos ou quase??

é caso para dizer que o nome da série foi mais do que bem escolhido (para além da óbvia referência à suposta bíblia da anatomia do corpo humano).

permitam-me a futilidade:

a média de idades é um "modesto" 39... mais alto do que eu esperava, confesso!

para começar, estou maravilhada com a yang. 38 anos? uau! pelos vistos ser hiper-racional e obcecada com o trabalho compensa, e sendo assim ainda tenho hipóteses de chegar aos 40 com uma pele invejável.

igualmente maravilhada com o burke - 46 anos?! muito bom!! é o que dá ter pele com factor solar 50 incorporado (como disse a oprah há tempos, e com razão. nós, os branquelos, é que nos lixamos).

e o mcdreamy... hmm... 44 aninhos... é giro, mas está mesmo, mesmo a passar o prazo de validade LOL.

e, já que estou de manga arregaçada e metida até aos cotovelos em "pink futile amusements", não pude deixar de reparar que, em 13 pessoas, há 3 escorpiões e 2 carneiros. não deve ser uma equipa lá muito fácil de gerir.

o isaiah washington é leão, mas entretanto já foi expulso da série. problemas relacionados com o seu grande ego, claro. :)

back to the meeting.

sexta-feira, 20 de novembro de 2009

compasso de espera

estado: no aeroporto de lisboa, aguardando pelo vôo de ligação de regresso a casa.

estado: aguardando também uma proposta de trabalho concreta, que chegará na próxima semana - mas até agora as probabilidades apontam fortemente para uma mudança de país!

estado: cansada e ainda meio atordoada pelo frio que apanhei ontem... mas bem.

os amigos já andam a investigar o preço dos vôos para munique... parece-me que, se for, não faltará calor humano. :)

quarta-feira, 18 de novembro de 2009

@münchen - considerações soltas


. escritório imenso; um verdadeiro labirinto de open spaces, see-through offices e silence boxes. sempre que me levanto, tenho que parar e pensar: gabinete da chefe à esquerda, WC à direita. ou isso, ou apareço à frente da chefe de escova de dentes na mão.

. mais um dia de sol e calor. :) quer dizer, de manhã estava mais frio do que ontem, mas suportável. agora está um sol fantástico, apetece ir dar uma volta até ao lago (sim, aqui nos edifícios da empresa há um lago).

. a minha agenda de final de tarde parece a de um playboy:
18h30 - Sara - estação de Hauptbanhof, à porta (florista)
20h20 - Susana - estação de Ostbanhof, à porta (táxis)

vida chata. :)

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

@münchen - a golfista

logo às 8h da manhã, no shuttle que faz o trajecto hotel - estação de metro, a minha co-passageira era uma versão morena da paris hilton: alta, magra, olhos carregados de rimmel/ eyeliner/sabe-se lá mais o quê, trança a cair do alto da cabeça e roupinha estilosa de quem vai jogar golfe. (nota: chove a potes em munique - será golf indoors?). e, claro, como boa norte-americana, falava dois tons e meio acima do europeu normal, dando aquele efeito peculiar de quem sorri sem sorrir.

e o hotel? o hotel é giríssimo (o rapaz da recepção também é giríssimo), e como fica ao lado do IKEA quase que apostava que a mobília veio toda de lá!! só para terem uma ideia: as paredes dos corredores são em cor-de-laranja e branco, e o quarto está todo mobilado com peças amarelas, vermelhas, cor-de-laranja e (para equilibrar) castanhas. uma verdadeira wonderland! :)

de resto, Munique já não é um sítio estranho para mim. tenho as minhas estratégias de adaptação bem ensaiadas - e são elas:

1. várias camadas de roupa, para ir vestindo ou despindo consoante a potência do ar condicionado;

2. água termal para refrescar a minha pele sensível no final de um dia cansativo;

3. kispo todo-o-terreno, que protege do frio e da chuva ao mesmo tempo;

4. primeira coisa a fazer à chegada ao hotel: desligar o ar condicionado e abrir a janela, para não sufocar. neste caso tive sorte, o quarto não estava muito quente;

5. (quase) primeira coisa a fazer à chegada à empresa: comprar um stock de 3l de água sem gás... e, já agora, umas bolachinhas e um chocolatinho ritter sport (escolhido de entre as 20 variedades existentes!).

ah!, e um croissantzinho recheado com geleia de pêssego, logo pela manhã, também soube às mil maravilhas.

vida chata. :)

sábado, 14 de novembro de 2009

riverside diaries_1


já há mais de um mês que estou instalada num sossegado e mágico apartamento com vista para a fronteira entre o rio e o mar...

adoro a minha nova casa. adoro que seja recôndita e tranquila, e que nela me sinta sempre aconchegada.

adoro que tenha uma temperatura amena. nem demasiado fria nem demasiado quente... mesmo como eu gosto!

adoro o enorme sofá com chaise longue, que foi embora hoje (se ficar por cá, vou comprar um igual. noutra cor, claro).

eis as doces rotinas já descobertas:
  • escrever na mesinha da varanda, de perna ao alto, com vista privilegiada para o pôr-do-sol;
  • dar umas voltas (e uns tombos) na bicicleta, por entre os prédios;
  • conversar um bocadinho com as plantas do P., para elas não murcharem;
  • fazer uma aula de dança caseira na enoooooorme sala;
  • redescobrir as aulinhas de viola com a I., também elas caseiras;
  • o cházinho com rodela de limão, antes de ir dormir (e que bem se dorme por aqui!!)

não sei por quanto tempo cá ficarei... mas sei que, enquanto aqui estiver, estarei feliz.

good vibes. :)

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

put on your boxing gloves

salary increase round table starts... tomorrow.

segunda-feira, 9 de novembro de 2009

para a MINHA irmã


vamos correr mundo, sis'. de mãos dadas. com direito a fotos de língua de fora, correrias loucas, bolinhas de sabão voadoras e muitas, muitas gargalhadas.

sábado, 7 de novembro de 2009

quarta-feira, 4 de novembro de 2009

gabarolice do dia

o billy é meu amigo no twitter! nananananana!

"Call in your Light to mingle with your Darkness. Let Love illuminate All."

mas é segredo... schhhhhhh....

terça-feira, 3 de novembro de 2009

vicissitudes de quem se aventura para os lados da maia_2

há uma série de sítios - que digo? - há uma porrada de sítios que eu confundo uns com os outros. tal como vila do conde e póvoa, por exemplo. ou maia e ermesinde. ou, ainda, uma rua de gaia com outra qualquer rua de gaia (exceptuando a av. da república e a rotunda de sto. ovídio).

talvez por ter vivido durante 30 anos no centro do porto - nessa zona povoada de referências e de edifícios históricos - sinto imensa dificuldade em orientar-me numa cidade estilo "dormitório", sem grandes marcos que cortem a monótona paisagem de casas e prédios.

este facto, aliado a uma "cabecice-no-ar" geneticamente determinada e persistente até à data, faz de mim uma pessoa com um imenso potencial para se perder por aí. (no sentido geográfico da coisa, claro).

para ajudar à festa, a cada dia que passa descubro mais e mais provas de que a imaginação dos portugueses para nomes de ruas tem limites, e bem curtos.

pois não é que existe uma rua da barranha, tanto na maia como em ermesinde? e não é que em ambas há um talho magalhães - ou, mais propriamente, numa há um "talho magalhães" e na outra há uma "casa magalhães", a qual tem mercearia e talho.

e não é que são duas cidades que eu confundo sempre??

...

já adivinharam o desastre, não já?

pois é.

hallellujah_jeff buckley's version

já decorei os acordes na viola. ainda preciso de trabalhar a introdução e os bordões...

... mas, a parte que sei, já consigo tocá-la de olhos fechados... :)

http://www.dailymotion.com/video/x1z069_jeff-buckley-hallelujah_music

segunda-feira, 2 de novembro de 2009

wanna get soaking wet, then!


"life isn't about waiting for the storm to pass,

it's about getting out there and dancing in the rain."

domingo, 1 de novembro de 2009

devaneios nocturnos


hallow-warming dinner party. black & grey. mental note: dye hair bright red.

nano-beginning. without beginning yet.

no answers for me in the tarot deck. cards are silent tonight.

"People are strange when you're a stranger,Faces look ugly when you're alone.Women seem wicked when you're unwanted,Streets are uneven when you're down."

sexta-feira, 30 de outubro de 2009

história em seis palavras

roubado daqui: http://www.escreva.com/desafio.php?d=301

Hemingway escreveu uma história em 6 palavras e chamou-lhe o seu melhor trabalho: «Vende-se: sapatos de bebé, nunca usados.»

estendo a este blog e aos seus leitores o desafio de escrever uma história em 6 palavras.

o meu contributo:

.should be elsewhere doing something else

.should try writing long stories instead

.i have a dream - and you?

quinta-feira, 29 de outubro de 2009


escreveu, num pedaço de papel amarrotado, as palavras que lhe martirizavam a alma:

“sinto a tua falta.”

de seguida guardou-o numa caixinha dourada que outrora albergara vários pacotes de chá. escolheu a caixa do earl grey, porque lhe recordava os pequenos-almoços tomados a dois, entre bocejos e mimos.

escondeu a caixa na prateleira mais alta da cozinha, por detrás de um saco de arroz agulha. agulhas cravadas no peito, era o que sentia, pensou.

quedou-se por momentos, fixando o lugar oculto onde aquelas palavras repousariam, de agora em diante. tentou visualizar essas mesmas palavras, encolhidas na velha folha amarela, abrindo-se e libertando-se do papel, do seu peito. libertando a sua dor.

não fez mais nada nesse dia a que atribuísse tanto significado como àquele pequeno gesto.

aprendera que seria assim, por vezes, quando não conseguia abandonar um sentimento inútil. a única solução que encontrara fora a de aceitá-lo como seu, como parte integrante de si, e de guardá-lo gentilmente num recanto escondido da casa.

para que também ele, o sentimento persistente, se recolhesse a um recanto oculto do seu coração.

quarta-feira, 28 de outubro de 2009

será?... não será?...

e pronto. lá chegou a proposta anual de ir trabalhar para fora.

terça-feira, 27 de outubro de 2009

no tengo armas

não sou grande fã desta miúda, mas volta e meia faz umas músicas curtidas:

http://www.dailymotion.com/video/xa1xm9_nelly-furtado-manos-al-air-official_music

assim daquelas que batem fundo...

(nota: o "tu" é em sentido lato, muito lato)

sábado, 24 de outubro de 2009

condomínio da Terra

  • pela Biosfera:
"o condomínio da terra ambiciona compatibilizar a organização interna das sociedades humanas com o funcionamento global e interdependente da Biosfera."
  • por uma responsabilidade partilhada:
"a vizinhança global coloca-nos na condição irrenunciável de todos sermos condóminos da Terra, partilhando de forma involuntária os danos e os benefícios que cada um de nós provoca nos bens indivisíveis do planeta."
  • por uma Economia de Simbiose:
"enquanto a nossa economia só atribuir valor à natureza depois de a destruir ou transformar e não valorar os serviços vitais que ela presta, está condenada à insustentabilidade."
  • por uma Contabilidade Ambiental:
"é necessário encontrar uma nova fórmula de medir o crescimento (...) é insustentável continuar a confundir degradação da Biosfera com desenvolvimento, e a considerar que a sua manutenção é sinónimo de atraso e empobrecimento."

por um Futuro. sign here please.

o planeta agradece.

anagramas


observar equivale a absorver.

vinte e quatro do nove de mil novecentos e setenta e sete equivale a sete - nove - nove - sete - sete (os meus algarismos favoritos).

sexta-feira, 23 de outubro de 2009

vicissitudes de quem se aventura para os lados da maia_1

na tentativa de irmos assistir ao festival internacional de teatro cómico, eu e a minha amiga H. perdemo-nos 5 vezes (cada uma no seu respectivo veículo) até conseguirmos chegar do porto ao fórum da maia. por milagre, chegamos a tempo da peça, mas um dos carros teve que ser estacionado duas vezes e o jantar foi adiado para mais tarde.

no regresso, todas ufanas, claro que pecamos por excesso de confiança... e basicamente íamo-nos perdendo outra vez.

lá seguíamos, em fila indiana de duas, quando a H. pára de repente no meio de uma rotunda, os quatro piscas ligados, os carros atrás já a buzinarem... e eis que ela desce o vidro da janela, imperturbável; deixa cair o braço que segurava o inevitável cigarro e, voltando-se para trás (onde eu a seguia no meu carro), pergunta calmamente: "e agora, por onde é?"

é só amigos com estilo, digam lá.

priceless. :)

quarta-feira, 21 de outubro de 2009

a vida não é aqui

mudei de casa, mas continuo a contar lições. o mundo está a tentar falar comigo, parece-me, e talvez não esteja ainda a conseguir ouvi-lo como deve ser.

há que aguçar o espírito... estar atenta.

neste fim-de-semana que passou percebi que o meu passado está a romper comigo. na forma de ex-namorados que ignoram os meus sms de "feliz aniversário", de ex-coisos que me surgem de repente acompanhados da nova gaja/coisa/namorada/who cares, de amigos que só falam em emigrar e em mudar de vida e que entretanto vão passando tempo de copo na mão, semi-alienados, como se estivessem numa sala de espera com acesso ao futuro.

ora pois bem, minha gente, se esse tempo passado de copo na mão é só um compasso de espera inútil, então dão-me licença que vá para casa ler um livrinho, sim?

é que tenho coisas mais úteis para fazer.

como, por exemplo, trabalhar no meu futuro. nesse caminho que - ok, já percebi! - não se constrói sozinho.

e, entretanto, o destino parece estar a querer facilitar-me a tarefa de cortar laços e de preparar a despedida...

... porque, desconfio, também a minha vida não é aqui...

terça-feira, 20 de outubro de 2009

segunda-feira, 19 de outubro de 2009

em busca da eternidade


Fotos @ Rua Miguel Bombarda

"As paredes de diversas ruas da cidade têm sido preenchidas com o desenho em stencil de origamis em forma de pássaro, o grou ou garça branca conhecida como tsuru, símbolo de longevidade, prosperidade e felicidade eterna.
Reza uma lenda japonesa que uma vez finalizados mil tsurus de origami enquanto se concentra num desejo, tudo aquilo que desejou será atendido. Por isso, estes desenhos estão todos numerados, até 1000 … street art em busca da eternidade."

domingo, 18 de outubro de 2009


seria caótica, se não tivesse tanta graça. ria com todos os seus 29 pequenos dentes e torcia os dedos uns nos outros, desajeitadamente, como que para impedi-los de sucumbirem em soluços.

carregava um livro para todo o lado, bem preso debaixo do braço, embora não tivesse paciência para ler. mas os papéis faziam-na sentir-se especial.

todos os dias suspirava sobre o computador mal amanhado, contando os minutos que faltavam para a pausa do cafe, na qual poderia enfim dar largas à sua alegria tagarela.

o colega sentado às nove horas detestava-a. todos aqueles suspiros e contorcionismos em frente ao monitor desconcentravam-no, diminuiam-lhe a produtividade.

meteu na cabeça que era por culpa dela que nao progredia na carreira; os chefes nao levavam a sério aquele quadrante do escritório.

ao nonagésimo sexto dia do ano, despejou-lhe 3 xanaxs no café, sem dó nem dor. a miúda começou a torcer os dedos, os braços, colapsou. foi levada em braços, fizeram-lhe análises ao sangue, adivinhou-se-lhe uma depressão.

esteve um mês de baixa, por recomendação da empresa.

quando regressou, altamente medicada, nem parecia a mesma. mal falava e mal sorria, emagrecia a olhos vistos. e abandonara os seus livros de estimação.

o escritório estava diferente: o colega da esquerda tinha sido promovido a chefe de divisão, e passava agora as mesmas 14 horas por dia alienado em frente ao mesmo computador, mas desta feita num gabinete próprio. não fora substituído.

as colegas olhavam-na de soslaio, com desconfiança, e interrompiam as conversas ao pressenti-la.

ao fim de duas semanas deixou de aparecer ao trabalho. deixara um post-it no monitor a dizer: "preciso de encontrar um sentido para a minha vida".

e, desde essa ocasião, nunca mais foi vista.

sexta-feira, 16 de outubro de 2009

domingo, 11 de outubro de 2009

sábado, 10 de outubro de 2009

proud to be a redhead(ish)


some facts which - finally - make me feel less awkward and whiny:

  • scientists have found that redheads, carriers of a particular variant of the melanocortin-1 receptor gene (MC1R), appear more sensitive to pain and temperature than darker haired folk (would explain why I can't stand the sun - I);

  • redheads are more sensitive to ultraviolet light, which is why they burn more easily in the sun, and it predisposes them to skin cancer (would explain why I can't stand the sun - II);

  • redheads have some of the thickest hair, not the most number of strands but the thickest. an average head of hair has about 100,000 strands; redheads average 900,000; blondes 120,000 (would explain why I used to need two persons at the same time to comb and iron my hair LOL);

  • there is a belief that redheads are prone to industrial deafness, which actually could be true as the melanocytes are found in the middle ear (would explain why I can't stand loud music anymore);

  • redheads don't turn grey: red hair turns sandy, then white. they are also found to loose their color later in life than people carrying other hair colors (yey!);

  • bees are thought to sting redheads more than others (would explain why I am terrified of bees more than of any other insect/animal in the world);

  • the highest percentage of natural redheads in the world is in Scotland (13%), followed closely by Ireland with 10% (always wanted to move to the UK eheheh).

... and suddenly all my lifelong traumas are explained... by the rare and stunning red hair color!

oh joy! :-D

terça-feira, 6 de outubro de 2009

segunda-feira, 5 de outubro de 2009

à 6a tentativa, lá fez click :)

You Are An INFP


The Idealist

You are a creative person with a great imagination. You enjoy living in your own inner world.

Open minded and accepting, you strive for harmony in your important relationships.

It takes a long time for people to get to know you. You are hesitant to let people get close to you.

But once you care for someone, you do everything you can to help them grow and develop.

In love, you tend to have high (and often unrealistic) standards.

You are very sensitive. You tend to have intense feelings.

At work, you need to do something that expresses your personal values.

You would make an excellent writer, psychologist, or artist.

How you see yourself: Unselfish, empathetic, and spiritual

When other people don't get you, they see you as: Unrealistic, naive, and weak

sobre as ditas amizades coloridas

no such thing, in my opinion.

pelo menos não na sua definição idílica, que seria algo do género: misto de amizade e sexo, sem demais compromisso das partes, mantendo cada um a sua liberdade individual, de forma descomplicada, para benefício de ambos.

se dedicar 20 segundos do meu cérebro ao tema, não me ocorre nenhuma tal situação em que uma das partes não tenha saído magoada. se dedicar 45 segundos ao tema, já me ocorrem situações em que a amizade saiu preservada - mas também estas terminaram porque uma das partes estava interessada em algo mais.

na maioria das vezes, este "misto de amizade e sexo", acaba por ser um "lamentavelmente, a amizade já acabou por hoje; podemos servir-lhe apenas o sexo, com uma salada de indiferença à parte?".

e a cena do "sem compromisso"? ui. há lá coisa mais mal definida.

para alguns, "sem compromisso" equivale a dizer "boa queca, até qualquer dia. vemo-nos se nos voltarmos a ver." para outros, vai até ao limite oposto, o de "vamos indo e vendo... para já assim, mas pode ser que dê em algo mais".

e o que se propunha ser uma forma fácil e solta de pinar, acaba por levar um carimbo de COMPLICAÇÃO de todo o tamanho.

então, vamos lá chamar as coisas pelos nomes. começando talvez por deixar cair a palavra "amizade" do termo (tão em voga, hoje em dia), e substituindo the whole thing por um simples "quero ir para a cama contigo e mai' nada".

ah, e podem esquecer também a parte do "descomplicado". sim, que isto de querer ter sexo e intimidade e companhia sem levar com a parte complexa de ter uma relação... pois sim. não queriam mais nada, não?

diria eu que em 99% dos casos não resulta. leva-se sempre o pacote completo, como em muitas outras coisas na vida.

or so I think (and see).

domingo, 4 de outubro de 2009

"light up the sky like a flame"

martha graham
sobre a dança.
essa linguagem que me acompanha desde que, em muito pequenina, posava para as fotos com o meu fatinho de lycra e sabrina elástica.
a dança que sempre me fez sentir bonita, mesmo na idade em que só tinha vontade de partir espelhos.
que me ensinou a felicidade na união de corpo e alma, e no descanso da mente.
que me deu dores de costas, dores de pernas, e uma rótula deslocada - mas a quem eu tudo isso perdoei.
a dança que sempre me salva.
que eu toquei ao de leve, com mão fugidia e transversal, sem nunca me entregar.
a dança que eu sempre amei mas que deixei definhar, entre indecisões e outras prioridades.
sempre presente; nunca em primeiro plano.
a dança que agora recordo como um momento perfeito, aos 17 anos, que gostaria de poder congelar eternamente.
e agora, 15 anos depois... será ainda tempo?...

sexta-feira, 2 de outubro de 2009

miminhos

tenho um cliente que me envia gomas pelo correio. e começa as conversas no messenger com "hello my lady"; e acaba-as com "1000 THANKS".

ainda dizem que os alemães são frios. bah!

são uns doces... quando querem. :)

terça-feira, 29 de setembro de 2009

detesto admitir isto, mas...

... em lado nenhum durmo tão bem como no meu "antigo" quarto, em casa dos papás.

sexta-feira, 25 de setembro de 2009

for better and for worse

social networks give you waaay too many details about other people's lives...

terça-feira, 22 de setembro de 2009

prémio Mas que Confusão vai Naquelas Cabecinhas

Sócrates considerado o pior primeiro-ministro e Cavaco o melhor
Uma sondagem realizada pela revista Exame atribui a Cavaco Silva o estatuto de melhor primeiro-ministro português. José Sócrates surge em segundo lugar, mas quando é perguntado qual foi o pior primeiro-ministro, é o actual líder do PS que surge na frente.

http://www.jornaldenegocios.pt/index.php?template=SHOWNEWS&id=387553

furor noticioso súbito: la crise me gusta

Ambiente ganha com recessão
As emissões mundiais de CO2 estão a cair ao ritmo mais acelerado dos últimos 40 anos. É um dos efeitos colaterais mais benéficos da mais grave recessão que abalou a economia global em 60 anos.

http://www.jornaldenegocios.pt/index.php?template=SHOWNEWS&id=387493

domingo, 20 de setembro de 2009

a arte de plantar batatas

deolinda
"bem sei que há trolhas escritores, letrados estucadores e serventes poetas; e poetas que são verdadeiros pedreiros das letras.

e canta, em arte genuína, o pescador humilde, a varina modesta. e tanta vedeta devia dedicar-se à pesca...

por não fazer o que mais gosto, eu canto com desgosto o facto de aqui estar. e algures sei que alguém mal disposto ocupa o meu lugar.

e é a mudar que vos proponho! não é um passo medonho, em negras utopias; é tão simples como mudar de posto na telefonia...

proponho que troquem convosco... e acertem com a vida!"

quinta-feira, 17 de setembro de 2009

reconciliei-me com a política (por 30 mnts diários)

vou confessar aqui uma verdade polémica para uma miúda classe média/licenciada como eu: ODEIO política.

quando tinha os meus 15 anos, costumava criticar a minha mãe porque a sua resposta à pergunta "em quem vais votar nas eleições?" era, invariavelmente, "sei lá... voto no partido em que o teu pai votar".

e lá lhe dava eu um nano-mini-micro-sermão sobre feminismo e consciência política blábláblá.

pois bem, ao que parece Deus castigou-me (nessa altura eu acreditava em Deus) com um brutal e incontornável desinteresse pela vida política nacional. que perdura até hoje.

eu juro que já tentei ver os telejornais, seguir as campanhas - em suma, estar atenta. mas... não dá.

é que, já viram?, a política neste país cai 99% das vezes em politiquice. perdem-se horas, dias, meses, a esmiuçar assuntos laterais como a licenciatura do primeiro-ministro ou o disse-que-disse-que-não-disse sussurrado nos corredores da AR. coisa de putos. a sério.

na escola primária era igual: dois grupos, um para cada lado; e cada um definia uma estratégia. um plano. depois havia os espiões, que se infiltravam no lado inimigo para sacarem informações. e os disse-que-disse, claro. e os jogos de poder. tudo representado a uma nano-mini-micro escala, mas que - podem crer - tem a mesma raíz dos jogos de poder dos adultos na política e na guerra.

francamente, não tenho pachorra. de um típico debate entre políticos portugueses tiram-se, na minha opinião, mais lições sobre psicologia e arte da retórica do que sobre economia, estratégia, convicções e planos. já para não falar na forma irritante como as opiniões se invertem quando a malta passa do Governo para a oposição e vice-versa. é inútil.

mas há esperança: a minha reconciliação com a vida política nacional passa afinal pelos gato fedorento. assim, sim: um programinha light, que resumidamente aponta alguns factos marcantes da campanha com a ironia que lhes é adequada (sim, que não dá para levar a coisa a sério!...). e com a entrevista final onde, por entre risadas, se consegue tirar a pinta aos nossos mui ilustres candidatos a PM e ainda levar com propaganda q.b.

é um programa semi-informativo, bem-humorado e com tempo de antena mais do que suficiente.

(que isto dos debates, enfim... vou contar-vos um segredo: o que eles dizem nos debates... não serve para nada.)

(seriously. experimentem lá fazer um resumo das ideias-chave no final. pura perda de tempo).

quarta-feira, 16 de setembro de 2009

wonderland diaries_6

é oficial: a wonderland vai mudar de poiso e regressar à cidade invicta.

aguarda-se com expectativa a data da mudança, a ser efectivada já no final deste mês.

para o novo espaço desejam-se melhores energias, ventos a soprar gentilmente e de feição... e nada de bruxas más!

a alice agradece (ao destino, em rejubilante vénia).

domingo, 13 de setembro de 2009

de uma saudade quase sem rosto...


... de um lugar "estranho", de um nome descoberto - persistente na memória, transversal a tudo.